CESA - Centro de Estudos da Saúde

Técnico em Segurança do trabalho

CURSO INDISPONÍVEL NO MOMENTO.

 

A Segurança e Saúde no Trabalho (SST) se caracterizam pelo papel estratégico de educar os trabalhadores no sentido de promover atitudes conscientes para o trabalho seguro durante a realização das suas tarefas diárias. As demais atividades dessa subárea visam implantar preceitos, valores e crenças de segurança no esforço de integrar a segurança, a qualidade, o meio ambiente, a produção e o controle dos custos das empresas. Para tanto, os profissionais dessa subárea analisam as condições de trabalho, planejam e elaboram normas e instruções de trabalho, reforçam comportamentos seguros, realizam auditorias e programam ações corretivas que acabam ou minimizam os riscos dos locais de trabalho.

O funcionamento efetivo da SST nas organizações pode trazer o benefício da redução das perdas humanas ao patrimônio, ao meio ambiente e ao processo, evitando conseqüências danosas para o mundo do trabalho. Esses benefícios podem ser evidenciados pelas mudanças radicais ocorridas no cenário da subárea no início dos anos 2000, quando o Brasil saiu do primeiro lugar no ranking de acidentes do trabalho no mundo, posição que ocupou nas décadas de 70 e 80, para o 15º lugar em 1999, segundo dados da Organização Internacional do Trabalho – OIT.

Este novo quadro é, sem dúvida, fruto do somatório de diversos fatores, entre os quais se destacam o trabalho dos profissionais de segurança e a melhor aplicação dos conhecimentos gerados, somados a decisões políticas importantes para a área. Entre estas, salienta-se o empenho governamental nas questões relativas à saúde e segurança dos trabalhadores expresso pelo Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade – PBQP, que estabelece a meta de redução em 25% na taxa de acidentes de trabalho até 2003.

Para alcançar esse objetivo, as empresas brasileiras terão que mudar a forma de encarar a questão da segurança, pois os acidentes e as doenças decorrentes do trabalho constituem um claro e significativo desperdício de recursos e sinais evidentes de falhas de gestão.

O desafio é superar as adversidades e estimular a empresa a manter um compromisso / comportamento efetivo com a cultura que preserve a integridade física, mental e até social dos trabalhadores e previna que eles sejam acometidos de lesões / doenças relacionadas aos contaminantes existentes nos ambientes de trabalho. Neste contexto, fica claro o espaço para uma participação maior do profissional técnico em Segurança, no que se refere ao Planejamento, Implementação das Ações e Verificações Sistemáticas no seu sistema, uma vez que o seu grande desafio é integrar a Segurança a outras áreas da empresa, como a Manutenção, a Produção, a Qualidade e a Administração.

O CENÁRIO E TENDÊNCIAS DE PERNAMBUCO:

Segundo a Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD-DIPER), os setores-chave para desenvolvimento econômico de Pernambuco são informática, ciência e tecnologia, os serviços modernos, agroindústria irrigada, o apoio a indústrias estruturadoras e de tradição na Região Nordeste (metal mecânica, têxtil, calçados e processadoras de alimentos).
Pernambuco é o único estado do Nordeste a dispor de três portos: o fluvial de Petrolina e os marítimos de Recife e Suape.

O Porto de Suape vem se consolidando como importante diferencial competitivo do estado com uma receita mensal superior a um milhão de dólares.

O Curso de Técnico em Segurança do Trabalho fornece os conhecimentos necessários para o profissional desempenhar as funções de promover a Saúde e a Segurança do Trabalhador nos diversos setores do trabalho e assessorar os diversos órgãos da empresa em assuntos de Segurança e Higiene Industrial, desde o projeto, até o funcionamento, supervisionando os equipamentos e solucionando questões relativas à Higiene do Trabalho.

A profissão de Técnico de Segurança do Trabalho foi criada pela Lei nº 7.410, de 27 de novembro de 1985, regulamentada pelo Decreto nº 92.530, de 09 de abril de 1986. As atividades do Técnico de Segurança do Trabalho estão definidas na Portaria MTb nº 3.275, de 21 de setembro de 1989. Ao final do curso, o aluno deverá ter adquirido as competências gerais da área para aplicar em seu exercício profissional.

Objetivos

  • Formar Técnico em Segurança do Trabalho para desenvolver as competências inerentes a sua categoria profissional de forma que venha a atuar na prevenção a acidentes de trabalho, como forma de salvaguardar a integridade física do trabalhador, melhorar a qualidade de vida e atender à demanda desses profissionais pelo setor produtivo;
  • Capacitar o aluno para utilizar e aplicar as novas tecnologias relativas ao campo de atuação, aliando a teoria à prática, valorizando os conhecimentos adquiridos no decorrer do curso;
  • Desenvolver as habilidades comportamentais, técnicas e organizacionais, objetivando a formação de um profissional competente, com visão de futuro e responsabilidade com a sociedade.

Requisitos de acesso ao curso

  1. Para ter acesso ao Curso Técnico em Segurança do Trabalho, o candidato deverá:
    • estar cursando o 2º ano do ensino médio ou ser egresso do ensino médio;
    • ter idade mínima de 17 anos.
  2. A escola aceitará matriculas de candidatos transferidos de unidades de ensino desde que exista vaga e que o aluno apresente o histórico escolar referente ao período cursado;

    Para ingresso no Curso de Técnico em Segurança do Trabalho, o candidato deverá apresentar a seguinte documentação:

    1. Matrícula
      • Histórico escolar do ensino médio ou comprovante de matrícula do ensino médio;
      • certidão de nascimento (ou casamento);
      • cédula de identidade, CPF, certificado militar (para o sexo masculino);
      • uma foto 3x4, recente;
      • requerimento do aluno, solicitando a matrícula e declarando estar ciente dos termos do Regimento Escolar.

Perfil profissional de conclusão dos egressos do curso

  1. Competências profissionais gerais da área:
    • Identificar os determinantes e condicionantes do processo saúde-doença;
    • Identificar a estrutura e organização do sistema de saúde vigente;
    • Identificar funções e responsabilidades dos membros da equipe de trabalho;
    • Planejar e organizar o trabalho na perspectiva do atendimento integral e de qualidade;
    • Realizar trabalho em equipe, correlacionando conhecimentos de várias disciplinas ou ciências, tendo em vista o caráter interdisciplinar da área;
    • Aplicar normas de biossegurança;
    • Aplicar princípios e normas de higiene e saúde pessoal e ambiental;
    • Interpretar e aplicar legislação referente aos direitos do consumidor / usuário;
    • Identificar e aplicar princípios e normas de conservação de recursos não renováveis e de preservação do meio ambiente;
    • Aplicar princípios ergonômicos na realização do trabalho;
    • Avaliar riscos de iatrogenias ao executar procedimentos técnicos;
    • Interpretar e aplicar normas do exercício profissional e princípios éticos que regem a conduta do profissional de saúde;
    • Identificar e avaliar rotinas, protocolos de trabalho, instalações e equipamentos;
    • Operar equipamentos próprios do campo de atuação, zelando pela sua manutenção;
    • Registrar ocorrências e serviços prestados, de acordo com exigências do campo de atuação;
    • Informar o cliente / paciente, o sistema de saúde e outros profissionais sobre os serviços prestados;
    • Orientar clientes/pacientes a assumirem, com autonomia, a própria saúde;
    • Coletar e organizar dados relativos ao campo de atuação;
    • Utilizar recursos e ferramentas de informática específicas da área;
    • Realizar primeiros socorros em situações de emergência.
    • Perfil Profissional da Habilitação:

Organização curricular do curso

O currículo do curso foi elaborado de forma a atender, ampara-se nos seguintes dispositivos legais:

  • LDB 9394/96
  • Decreto nº 2.208/97
  • Portaria nº 646/97
  • Parecer CEB/CNE nº 16/99
  • Resolução CEB/CNE nº 04/99
  • Diretrizes Curriculares Nacionais da Área de Saúde

Está estruturado em quatro módulos sem itinerário formativo e organizado em competências, habilidades e bases tecnológicas que caracterizam as disciplinas dispostas em cada módulo e que darão ao aluno oportunidade de apoderar-se do saber, do saber fazer e saber ser, necessários para o alcance satisfatório do perfil profissional de conclusão.

HORÁRIOS DO CURSO
Módulos/Teórico/prático (4h diárias): Seg., quartas e sextas
Matutino: 08h às 12h
Vespertino: 13h30 às 17h30
Noturno: 18h30m às 22:00
 
 
   
   

Duração:

02 anos.

INVESTIMENTO:

MATRÍCULA: R$85,00**.

MANHÃ: R$215,00* (até o dia 08)

TARDE: R$185,00* (até o dia 08)

NOITE:R$215,00* (até o dia 08)

** Valor para pagamento à vista. Para pagamento com cartão, acréscimo de 5%: R$90,00 (noventa reais).

Matriz curricular

Disciplina Carga horária
0
Total 0